sexta-feira, 16 de junho de 2017

O empreendedor corporativo



Será que todos necessitam abrir seu próprio negócio ou podem ser felizes no próprio trabalho?

Acredito fielmente que nem todos devem abrir seu próprio negócio, por vários motivos, e é isso o que vamos discutir nesse artigo.

Para tocar um negócio próprio precisamos ter muita dedicação de tempo, de recursos financeiros, de uma boa dose de visão estratégica do negócio e de relacionamento com os players do ambiente profissional em que está empreendendo. Posso ser um ótimo profissional técnico e eficiente no que faço, no entanto, não querer arriscar em um novo negócio, ou ainda querer aguardar um melhor momento para abrir seu negócio. A questão é, devo ficar na empresa e fazer meu trabalho de uma maneira mais simplista, fazendo somente o básico; ou devo ter um comportamento mais diferenciado e e agir em algumas situações como se esse fosse meu próprio negócio?

Fico com a segunda opção; Ao trabalhar de uma maneira muito ambiciosa querendo obter os melhores resultados, esta pessoa estará testando suas ideias de gestão e se um dia abrir seu próprio negócio ela não terá grandes dificuldades de aplicar o que já utilizava no seu dia a dia.

Geralmente o empreendedor corporativo tem facilidade de trabalhar em equipe, de motivar seus colegas de trabalho, se destaca pelo otimismo mesmo nas situações mais críticas, tem uma visão aguçada para problemas difíceis, consegue ouvir a equipe em que está inserido e também pensa nos vários departamentos da empresa.

Em algumas situações o intra-empreendedor (empreendedor corporativo) surge quando uma crise se agrava na empresa e é necessário uma liderança entre os colegas. Não estou falando do chefe necessariamente, mas de um líder, aquele que guiará o time para passar esse momento crítico, que pode ser da economia ou do ambiente de trabalho que não está indo bem.


Nas minhas aulas menciono que considero uma empresa como se fosse um prédio, que a empresa não fez nada de bom ou de errado para o cliente, que quem faz o correto ou surpreende o cliente é o profissional que está em contato com o produto ou serviço, que são os colaboradores que fazem acontecer e tornam a empresa um local para se trabalhar de forma agradável ou difícil. Quando pensamos em focar na pessoa, teremos a pessoa-cliente, a pessoa-colaborador, assim como outras pessoas no ecossistema da empresa e que todos estão interligados.

O empreendedor corporativo consegue ver de uma maneira mais eficiente toda essa ligação entre as pessoas e sugerir um melhor atendimento ou uma dica ao colega de trabalho de maneira que o ambiente fica melhor para se trabalhar.

Difícil? Talvez um pouco, mas não impossível.

Termino o artigo dando algumas dicas que podem ajudar a se tornar um empreendedor corporativo:
Participe de palestras.

Visite feiras

Leia mais sobre seu negócio, seu setor, seu departamento, o site da endeavor é uma ótima dica.

Seja otimista.

Leia mais livros.

Curta sua família.

Se preocupe com seu lado espiritual.

Converse menos e ouça mais.

Seja proativo quando solicitarem um voluntário no seu setor para um serviço, até mesmo que seja em outra área.

Siga nas redes sociais pessoas relacionadas a negócios, como por exemplo: Flavio Augusto, Bel Pesce, Marcos Hashimoto e muitos outros.

Já tive situações que pensei estar sendo atendido pelo dono da loja, pela forma prestativa da vendedora se portava, isso certamente é uma característica muito boa dessa profissional. Por exemplo minha irmã é coordenadora de uma grande escola de idiomas, e já houve situações onde os pais dos alunos perguntaram se ela era sócia da empresa, pela maneira que ela se portava e se preocupava com os detalhes. Eles ficaram surpresos quando ela respondeu que não era sócia, mas que estava lá para fazer seu melhor.

Será que nós podemos fazer melhor, atender melhor, ensinar melhor?

Fiquem com Deus e vamos nessa, sermos melhores!
Até o próximo artigo.

Nivaldo J Silva, Mestre em Engenharia de Produção pela UNIMEP, Professor Titular de Planejamento Estratégico e Empreendedorismo na UNISAL, diretor do CIESP de Santa Bárbara d´Oeste, diretor do ecommerce CirurgicaSantaBarbara.com.br
Blog: NJSconsultoria.blogspot.com.br.